• Segware

Quer trabalhar com segurança eletrônica? Saiba como começar!

Trabalhar com segurança eletrônica é investir em um mercado que mantém sua curva de crescimento ano após ano.


De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (ABESE), o setor continua se desenvolvendo, tendo registrando 13% de vendas a mais na comparação entre 2020 e 2019 e 16% quando observado o ano de 2021.


Ou seja, somente nos últimos 24 meses o segmento apresentou 29% de aumento em suas transações. Por isso, se você pretende abraçar um novo negócio, a segurança eletrônica pode ser a alternativa ideal.


Neste artigo elencamos algumas dicas objetivas para um empreendedor começar neste caminho.


É válido ressaltar que, caso você tenha um portfólio elaborado, já abordamos por aqui orientações para dar início a um projeto de portaria remota.


7 Dicas para começar no mercado de segurança eletrônica


O mercado de segurança eletrônica, que já estava em ascensão antes mesmo da aceleração digital ocasionada pela pandemia e pelas medidas de distanciamento social, tem se destacado pela gestão de inovação e pela aceitação popular, cada vez maior, de suas soluções tecnológicas.


A exemplo disso, os controles de acesso por meio de ferramentas como as portarias remotas, ou com tecnologia facial, além de soluções integradas de imagem e som têm crescido no país. É o que diz um outro relatório da Abese, que apontou uma expansão de instalações de portarias remotas em 33% ainda em setembro de 2021.


Um dos principais diferenciais desse mercado é atender a demanda dos clientes com serviços completos, com custos otimizados e que se atualizam constantemente.


Soma-se a esse cenário o fato das transformações digitais em curso, a implementação do 5g, o desenvolvimento da Internet das Coisas, Machine Learning, entre outras tecnologias ratificarem a tendência da segurança eletrônica ser totalmente adaptável. Também por esse motivo é que esses serviços têm conquistado cada vez mais espaço nas agendas de investimento de clientes e empresas que desejam aumentar sua segurança


Para começar nesse mercado você deve estar atento a alguns pontos principais.


1) Conheça o seu mercado


Antes de se aventurar por qualquer negócio é importante compreender qual o mercado ao qual você pretende se associar.


Para isso, existem diversas metodologias de pesquisa de mercado e também as práticas mais simples, como observação da concorrência e das principais dores das pessoas em relação à segurança nesta região.


A partir desta avaliação você pode ter uma ideia de como se diferenciar e trabalhar com uma empresa de segurança eletrônica que realmente se destaque em relação às outras marcas já existentes.


2) Procure saber quais são as tendências desse mercado


A segurança eletrônica possui uma particularidade: está sempre se transformando e evoluindo.


Por isso, é imprescindível que o gestor deste negócio seja curioso e esteja atento ao que é tendência, aposta ou realidade desse segmento.


De nada adianta investir em uma empresa de segurança eletrônica se ela oferecer soluções ultrapassadas e que já não fazem mais sentido no dia a dia do cliente.


Assim, procure saber quais tecnologias surgiram nos últimos meses, quais serviços têm mais aceitação na sua região, entre outros aspectos.


3) Defina seu portfólio


Como em qualquer outro tipo de negócio é importante saber o que vender e para quem oferecer esse serviço.


Dentre as inúmeras possibilidades da segurança eletrônica, como central de monitoramento, portaria remota, sistemas de vigilância, etc, elenque quais têm maior potencial para o público que você deseja atingir.


Ao definir seu escopo de trabalho, reflita sobre como vendê-lo de uma forma diferente da já apresentada pelos concorrentes. Por que um cliente deveria escolher a sua solução e não a da outra marca?


4) Prepare a infraestrutura


Embora a segurança eletrônica utilize mais a nuvem do que um espaço físico, é importante contar com uma sede-escritório.


Assim você pode desenvolver um atendimento humanizado e terá um local para receber os alertas e mensagens dos clientes.


Além disso, uma vez que você trabalha com soluções para segurança eletrônica, precisa pensar no investimento necessário em equipamentos.

  • Câmeras

  • Interfones

  • Alarmes

  • Gravadores

  • Central de monitoramento

  • Software de gestão

Esses são somente alguns dos itens que precisam fazer parte do seu checklist. Entretanto, trabalhar com uma empresa de segurança eletrônica demanda outras ferramentas e suas devidas instalações.


Assim, pense nisso antes de trabalhar com segurança eletrônica!


5) Preocupe-se com a equipe

Uma das principais queixas direcionadas aos serviços de segurança eletrônica se referem ao mau atendimento dos colaboradores envolvidos nessas atividades.


É essencial contar com uma equipe que seja capacitada para executar uma função tão delicada quanto garantir a segurança dos clientes.


Não hesite em treinar seus funcionários, exigir certificações e experiência na área. Isso pode te poupar de muitos prejuízos futuramente.


Além de compreenderem de tecnologia, segurança patrimonial, pessoal e eletrônica, e dos processos da empresa, os funcionários precisam ter habilidades interpessoais para lidar com os clientes e com as suas demandas cotidianas.


6) Invista em tecnologia da maneira correta


Garantir a estrutura de uma empresa de segurança eletrônica passa necessariamente pela associação à ferramentas e serviços de tecnologia.


Entretanto, de nada adianta investir em soluções que não se adaptam às suas necessidades ou que não sejam completas.


Por isso, este passo orienta que você pesquise bastante antes de contratar empresas de tecnologia ou fornecedores de soluções digitais.


Como dissemos acima, além de itens físicos, como câmeras, alarmes, interfones, entre outros, a Internet das Coisas, os serviços em nuvem, machine learning e outros pontos devem ser avaliados nesse momento.


A exemplo de uma marca comprometida com a qualidade do que oferece em seu portfólio está a Segware - responsável pelo melhor software para monitoramento de alarmes, imagens e controle de acesso.


Após a escolha de um software de qualidade, sua planilha de investimentos em tecnologia ou equipamentos também deve contemplar outros aspecos. Abaixo descrevemos alguns deles:


  • Circuito Fechado de Televisão (CFTV)

  • Sistema digital

  • Sistema analógico

  • Monitoramento de alarmes

  • Entre outros


7) Estabeleça metas e mensure


Como mostramos no começo deste artigo, ao trabalhar com segurança eletrônica é necessário saber onde está e para onde se quer ir.


Para acompanhar esse processo e seu andamento estabeleça metas de curto, médio e longo prazo.


Documente o que foi feito para alcançá-las (a fim de construir uma gestão de conhecimento) e faça a mensuração de todas as etapas.


Assim será mais fácil recalcular rotas quando necessário e potencializar estratégias que deram certo.


8) Não tenha medo de pedir ajuda

Para trabalhar com segurança eletrônica é indicado desenvolver competências gerenciais, capazes de garantir que você consiga observar o negócio de forma holística.


Essas habilidades irão assegurar a sua capacidade para conferir pontos importantes da organização, como fluxo de caixa, processos operacionais, demandas trabalhistas e afins.


Porém, caso você sinta necessidade de buscar auxílio de profissionais e empresas especializadas em gestão, não hesite.


Às vezes, postergar essa decisão pode complicar todos os demais passos da empresa de segurança eletrônica ou de monitoramento.


Seguindo a mesma lógica da associação à instituições prestadoras de serviços de tecnologia, pesquise bastante e contrate profissionais sérios, éticos e com experiência de mercado.


--------------------------------------


Trabalhar com segurança eletrônica requer, sobretudo, comprometimento e a compreensão de que este é um setor que se movimenta.


A tecnologia está sempre se transformando, bem como as necessidades dos clientes finais.


Esteja disposto a se reinventar sempre que necessário e a buscar oportunidades para solidificar os seus diferenciais.


Além disso, alie-se a outras empresas que já são referência nesse mercado. Entre em contato com a Segware e veja como o melhor software para monitoramento de alarmes, imagens e controle de acesso pode te auxiliar neste desafio.


192 visualizações