• Segware

Quais profissionais você precisa para operar com segurança eletrônica?

Atualizado: Set 17

A segurança eletrônica se apoia na tecnologia para funcionar e ser eficiente. No entanto, pouco adianta uma câmera sofisticada e um software de monitoramento de ponta se não houver profissionais que instalem os sistemas corretamente, acompanhem as imagens e tomem as devidas providências.

Neste post, apresentamos o perfil e as atribuições dos profissionais que trabalham na segurança eletrônica, para que você entenda o valor de cada um na operação e saiba quem deve contratar.


Instalador de sistemas eletroeletrônicos de segurança


O instalador de sistemas de segurança ou técnico instalador é o profissional responsável por instalar e configurar os sistemas e seus dispositivos componentes, como câmeras, alarmes e cercas. Também faz parte de suas atribuições a manutenção preventiva e reparação dos equipamentos.


O funcionamento correto dos equipamentos de segurança depende fundamentalmente da sua instalação e manutenção. Portanto, esse profissional é importante não apenas no início dos trabalhos com o cliente, mas ao longo de todo o tempo que ele permanece com a empresa.


É o instalador de sistemas que vai visitar a casa ou empresa do cliente e vistoriar todos os equipamentos de segurança para garantir que eles estão funcionando adequadamente, realizar testes e corrigir eventuais falhas.


Por essa característica, a função exige um bom conhecimento de instalação de equipamentos, informática e infraestrutura. Para o caso de empresas que também trabalham com monitoramento de imagens, é importante que o profissional tenha o curso técnico em CFTV.


Operador de monitoramento


O operador de monitoramento é o profissional que acompanhará os alarmes e as imagens das câmeras de segurança. Ele é o vigilante remoto, que deverá analisar as informações provenientes dos dispositivos de segurança e, caso identifique ações suspeitas, tomará as ações necessárias para resguardar o patrimônio.


Ele deverá se comunicar com outros profissionais da equipe de segurança, como vigilantes, porteiros, clientes e supervisores, repassando as informações necessárias sobre a situação do patrimônio.


O operador de monitoramento também pode acompanhar o deslocamento dos veículos da equipe de segurança da empresa, verificando as rotas realizadas.


Por ser necessário analisar as imagens e o sistema de segurança, é importante que, além do ensino médio, esse profissional tenha o curso de formação em vigilância ou segurança patrimonial. É uma função que requer bastante atenção, disciplina e proatividade.


Auxiliar de operação de monitoramento


Este é o profissional que auxiliará o bom andamento do trabalho de monitoramento, mas que terá atribuições complementares. Ele passará as ordens de serviço para os operadores em campo e fará o roteiro de serviços a serem realizados nos clientes.


O auxiliar pode, também, monitorar o deslocamento e a atuação dos operadores externos e fazer o atendimento ao cliente.


Para essa função, é importante que o profissional tenha o ensino médio e lide bem com a informática. Se tiver experiência com monitoramento ou algum curso na área, ainda melhor.


Gestor de segurança


O gestor de segurança é o responsável por planejar o sistema de segurança eletrônica de um cliente. Sua função é garantir que o serviço de segurança atinja seu objetivo, ou seja, que a proteção do patrimônio seja eficiente e completa.


Para isso, o gestor faz uma análise dos bens a serem protegidos e das ameaças a esses bens. Com base nesses riscos e nas vulnerabilidades do patrimônio, são pensadas e planejadas as soluções de segurança. Isso inclui, por exemplo, estar atento às novas tecnologias do ramo de segurança e monitoramento que possam ser diferenciais para determinados clientes.


O gestor de segurança é responsável tanto por implementar os planos de segurança quanto garantir que eles funcionem. Por esse motivo, a equipe de instalação e operações está sob sua responsabilidade. Ele deve garantir que todos da equipe estejam comprometidos com a segurança daquele patrimônio.


Devido às características dessa função, o gestor deve ter bons conhecimentos técnicos sobre a segurança eletrônica e capacidade de gerenciar e lidar com pessoas. Sendo assim, é importante que ele possua certificações na área de segurança patrimonial, CFTV e tenha conhecimento de informática avançada. Habilidades de liderança são um diferencial.


Conclusão


As funções principais para uma operação de segurança eletrônica envolvem a instalação e manutenção dos equipamentos e sistema, o acompanhamento das imagens no dia a dia e o pensamento estratégico e manutenção sobre as operações. Esses cargos precisam ser preenchidos por pessoas que entendam de segurança patrimonial e que sejam especializadas nas suas respectivas áreas.


Profissionais qualificados são a base de um serviço eficiente, que fideliza os clientes e traz mais prosperidade à empresa.

39 visualizações
Segware
  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube
  • LinkedIn

Brasil/SC: +55 48 32310000
Brasil/SP:  +55 19 31139450

EUA: +1 305 7671552
México: +52 55 41708415
Argentina: +54 11 52195583
Colombia: +57 2 8912730
Chile: +56 2 29381412
Venezuela: +58 212 7202193

Copyright © 2020 Segware Security Performance. Todos os direitos reservados.