• Segware

O que é Segurança da Informação e quais as diferenças para Segurança de TI

Atualizado: há 21 horas

Com nossos dados migrando cada vez mais para o mundo digital e se tornando cada vez mais valiosos em termos de negócio, é natural que vejamos crescer também as ameaças à segurança da informação.

Para se ter uma ideia, conforme o estudo Global State of Information Security Survey de 2017, só consumidores e o setor de varejo sofrem em média 4 mil ameaças à Segurança da Informação por ano. A pesquisa também aponta que 16% das organizações respondentes sofreram perdas de mais de US$ 1 milhão por causa de incidentes relacionados à Segurança da Informação.


Ou seja, já não podemos dizer que esse tipo de perigo se aplica apenas a alguns segmentos: ele se aplica a todos os setores, e as empresas buscam formas cada vez mais "cirúrgicas" de controlar seus sistemas em meio a ataques cada vez mais ousados de cibercriminosos. Assim, manter os dados e a privacidade seguros se tornou um desafio.


Nesse sentido, é essencial entender alguns conceitos relacionados a esse universo. O que é Segurança da Informação? Quais são as diferenças para Segurança de TI e Segurança em Nuvem? E, afinal, como proteger os dados da sua empresa? Acompanhe em nosso post!


O que é Segurança da Informação?


A Tecnologia da Informação (TI) está ligada a muitos tipos de tecnologias que são usadas para administrar dados. Mas a verdade é que esses dados também podem ser geridos de outras maneiras, sem necessariamente precisarem de tecnologia. E essa é a diferença primordial entre Segurança da Informação e Segurança de TI.


Em outras palavras, nem tudo que é registrado precisa ser armazenado de um modo digital. Por exemplo, quando fazemos uma reunião, a ata pode ser feita em uma folha de papel. Ao firmarmos um negócio, podemos fazer um contrato em folha de papel e guardá-lo em um arquivo.


É claro que esse tipo de documento precisa de proteção, e para isso existem políticas de segurança da informação que determinam as práticas e procedimentos para gerenciar esse tipo de registro, que ditam normas tanto para formatos digitais quanto físicos.


Assim, antes de apresentarmos os conceitos de Segurança de TI e Segurança em Nuvem, convém enfatizar alguns dos princípios básicos da Segurança da Informação:


  1. Autenticidade: assegurar ao usuário que ele saiba quem acessou, atualizou ou excluiu dados de maneira que haja confirmação de autoria e originalidade;

  2. Confiabilidade: certificar ao usuário a boa qualidade dos dados com os quais ele vai trabalhar;

  3. Confidencialidade: garantir que há sigilo de dados;

  4. Disponibilidade: assegurar que os dados estarão disponíveis sempre que pessoas autorizadas necessitarem deles;

  5. Integridade: certificar-se de que há inteireza e sobrevivência das informações.


Como podemos ver, a Segurança da Informação não está relacionada apenas às informações em si e seus meios de armazenamento, mas a políticas de administração e usuários. Ou seja, não está restrita a sistemas de informática e seus componentes.


Leia mais: 6 dicas de gestão financeira para empresas de segurança


O que é Segurança de TI?


Já quando falamos de Segurança de TI, estamos falando da gestão da infraestrutura de tecnologia, que inclui: componentes de hardware; computadores, laptops e outros dispositivos; data centers; provedores; sistemas de banco de dados.


Com isso, percebemos que o conceito de Segurança da Informação é mais amplo, indo além da questão da infraestrutura. Contudo, como hoje um número crescente de dados é administrado em meios eletrônicos, a intersecção entre os dois conceitos é cada vez maior.


Leia mais: 3 aplicações práticas do controle de acesso e como sua empresa de segurança pode lucrar com isso


O que é Segurança em Nuvem?


A Segurança em Nuvem é um conceito que vem crescendo rapidamente e fornece basicamente as mesmas funcionalidades que a Segurança em TI tradicional, inclusive a proteção de dados fundamentais contra exclusão, roubos e vazamentos.


Embora durante muito tempo a computação em nuvem tenha sido vista com desconfiança por muitos gestores, hoje os benefícios desse serviço já são muito mais reconhecidos. Entre eles está o fato de que, ao operar em nuvem, a escala de armazenamento e gerenciamento de dados pode ser muito maior, ao mesmo tempo em que é possível garantir sua segurança.


Isso porque a Segurança em Nuvem não muda o modo de gerenciamento da segurança: ela continua a contemplar ações de prevenção, detecção e correção. Mas com um benefício: na Segurança em Nuvem, esse tipo de ação pode ser feito de um jeito muito mais ágil.


Por exemplo: suas informações são protegidas dentro de datacenters e, nos poucos países que obrigam que essas informações sejam armazenadas localmente, sua empresa pode escolher um provedor que tenha diversos data centers espalhados ao redor do mundo, ajudando ainda mais na proteção dos dados.


Além disso, para armazenar dados há uma série de exigências de conformidade, em especial quando se trata informações de cartão de crédito, saúde e outros dados sensíveis.

Assim, muitos provedores fornecem relatórios de auditoria independentes. Estes são feitos por terceiros com a finalidade de comprovar que seus processos internos são eficientes para gerir a segurança dentro de suas instalações enquanto estão armazenando dados.


É possível falar em 3 modelos oferecidos pelos provedores de nuvem:


  1. SaaS (Software as a Service): os clientes podem acessar softwares baseados em computação na nuvem, com serviços como  agendas eletrônicas, editores de textos e planilhas, softwares de comunicação instantânea e videoconferências etc.

  2. PaaS (Platform as a Service): o PaaS é um serviço que tem como objetivo ajudar a desenvolver aplicações para usuários de uma nuvem, criando uma plataforma para agilizar esse processo. O provedor em nuvem deixa o sistema a disposição dos desenvolvedores, que podem colocar suas aplicações online sem se preocuparem com a infraestrutura de funcionamento;

  3. IaaS (Infrastructure as a Service): é quando uma empresa contrata um data center para alocação de servidores escolhendo a capacidade que precisará para implementar seus serviços. Essa modalidade é usada para aplicativos web, armazenamento de backups, hospedagem de sites, testes de desenvolvimentos etc.

A diferença do PaaS e do IaaS é que, no segundo, o gestor de TI tem mais autonomia para usar os servidores, já que contrata capacidade de processamento, espaço e memória. Já com o PaaS, não há necessidade de preocupação com a gestão de infraestrutura.


Leia mais: 5 dicas de marketing para empresas de Segurança Eletrônica


Como proteger os dados da sua empresa?


Experts em Segurança da Informação costumam concordar que existe uma necessidade de criar políticas de infraestrutura que abordem a prevenção contra ameaças e vulnerabilidades de segurança para proteção de dados.


Além disso, as empresas também precisam trabalhar em parceria com seus colaboradores para conscientizá-los sobre políticas, processos e riscos relacionados à Segurança da Informação.


Algumas diretrizes que podem e devem ser implementadas e seguidas pelas empresas são:

  • Análise de arquivos desconhecidos;

  • Backups regulares;

  • Benchmarking de boas práticas de Segurança da Informação;

  • Cópias de segurança dos documentos;

  • Cultura organizacional alinhada à transformação digital;

  • Decisão estratégica por uma estrutura de nuvem privada, pública ou híbrida;

  • Definição de soluções de segurança de e-mail;

  • Detecção de vulnerabilidades de hardware e software;

  • Eficácia no controle de acesso a dados;

  • Gestão de continuidade de negócios (GCN), prática que visa estabelecer planos de ação de emergência para resposta rápida a eventos adversos;

  • Gestão de riscos apropriada;

  • Monitoramento de registro de logins;

  • Política de Segurança da Informação dentro da empresa;

  • Proteção aos servidores;

  • Redundância de sistemas (infraestrutura física ou virtual replicada);

  • Regras de negócio bem definidas (regras de negócio referentes ao acesso, manutenção e tempo de guarda devem ser estabelecidas de forma criteriosa para garantir total segurança).

Leia mais: 7 eventos que todo profissional de segurança deve participar


Agora você sabe mais sobre o que é Segurança da Informação, Segurança de TI e Segurança em Nuvem. Que tal investir em um software de segurança patrimonial que ajude a tornar seu negócio mais eficiente e competitivo?


Para isso, certifique-se de buscar uma ferramenta que forneça as melhores funcionalidades. Não se esqueça de que ela precisa estar constantemente preocupada com a experiência do cliente final, para que a sua empresa possa alcançar os resultados esperados. 


O Segware Sigma é um sistema de gestão de segurança online que oferece serviço de controle de acesso. Ágil e intuitiva, a plataforma ajuda você a aprimorar a gestão do seu negócio, oferecendo um serviço muito mais seguro e eficaz para os seus clientes.


Quer saber mais? Então fale agora conosco e peça uma demonstração!

1 visualização
Segware
  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube
  • LinkedIn

Brasil/SC: +55 48 32310000
Brasil/SP:  +55 19 3113-9450

EUA: +1 305 7671552
México: +52 55 41708415
Argentina: +54 11 52195583
Colombia: +57 2 8912730 
Chile: +56 2 29381412 
Venezuela: +58 212 7202193

Copyright © 2020 Segware Security Performance. Todos os direitos reservados.